O Ministério Público do Paraná, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da 6ª Promotoria de Prevenção e Persecução Criminal de Curitiba, cumpre na manhã desta sexta-feira, 13 de dezembro, 29 mandados de prisão, seis deles contra policiais militares. Segundo o apurado, um dos presos, do quartel do 23° Batalhão, passava para os traficantes os dias mais tranquilos para o tráfico de drogas, evitando que a venda acontecesse quando os mais honestos estivessem em serviço.

Os outros presos facilitavam a venda de drogas, em troca de dinheiro por parte dos traficantes. Com um soldado da PM foi encontrado R$ 14 mil em dinheiro. Justamente, o padrão de vida acima da média levantou a suspeita para as investigações contra os policiais. Também estão sendo cumpridas 31 buscas e apreensões em Curitiba (22), Campo Largo (2), Araucária (3) e em Santa Catarina (4). A Polícia Militar presta apoio à operação, que recebeu o nome “Carnívoro” e que visa desarticular organização criminosa envolvida com o tráfico de drogas na Cidade Industrial de Curitiba.

(Foto: Arquivo)

Os policiais, que tiveram os mandados de prisão expedidos pela Vara de Auditoria Militar (a qual também autorizou buscas nos endereços dos PMs), são investigados por suspeita de integrarem organização criminosa e por acobertarem o tráfico de drogas, mediante pagamento em dinheiro. Os demais 23 alvos, que seriam todos traficantes, tiveram as ordens de prisão decretadas pela 6ª Vara Criminal da Capital, que também autorizou as 31 buscas.

Realizadas pela Promotoria de Justiça, com apoio da Polícia Militar, as investigações apontam para a prática dos crimes de participação em organização criminosa; tráfico (com associação e colaboração para tal), corrupção e concussão.