A Polícia Federal deflagra Operação Olho da rede e cumpre na manhã desta quinta-feira (5), dez mandados e busca e apreensão nas cidades de Curitiba (4), Quatro Barras (1), Morretes (1), Matinhos (1), Apucarana (1) e Rolândia (2).

Do dia 25 até agora, a PF  já cumpriu 17 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva, sendo que os sete anteriores foram cumpridos em: Curitiba (2), São José dos Pinhais (1), Campina Grande do Sul (1), Foz do Iguaçu (2) e Ponta Grossa (1).

Operação  Olho na Rede da PF – Foto PF

Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal em Curitiba, Londrina, Paranaguá e Foz do Iguaçu e tem por objetivo identificar materiais relacionados a posse, compartilhamento e produção de imagens de pornografia infantil com foco no Paraná.

Durante o cumprimento das medidas no dia de hoje foram realizadas três prisões em flagrante por posse de pornografia infantil: Curitiba (2), Quatro Barras (1). E desde o dia 25 de novembro, houve mais dois flagrantes: Ponta Grossa (1) e Curitiba (1).

Foi cumprido ainda um mandado de prisão preventiva expedido em relação a um suspeito residente na cidade de São José dos Pinhais, que já havia sido preso em flagrante em duas oportunidades anteriores por delitos dessa natureza.

A pena para o armazenamento de pornografia infantil é de 2 a 4 anos de reclusão, para o compartilhamento, de 3 a 6 anos de reclusão, para a produção das imagens, de 4 a 8 anos de reclusão, sendo que para o crime de estupro de vulnerável, a pena é de 8 a 15 anos de reclusão.

Em todos os casos as investigações seguem em andamento, em busca da identificação de outras pessoas envolvidas na rede de crimes, como os abusadores e produtores de imagens, mas principalmente das vítimas a serem resgatadas.