Um desempregado de 45 anos foi preso, na tarde de quarta-feira (10), acusado de matar a facadas um auxiliar de garçom, no Jardim São Luís (zona sul da capital paulista).  Segundo a polícia, uma discussão por causa de drogas teria motivado o crime.

Imagem de arquivo (Foto: EBC)

 

A mulher do acusado, de 31 anos, afirmou em depoimento que mora na rua com o desempregado há cerca de oito anos. Ela acrescentou que após seu companheiro discutir com Anderson Rodrigues do Carmo, 43, o acusado se armou de duas facas e passou a golpear “seguidamente” a vítima. A quantidade de facadas não foi informada.

“Na sequência, o acusado pegou a companheira e disse: ‘vamos filha, aqui molhou [sic]’ e ambos foram embora pulando o muro do cemitério [São Luís] para o lado de dentro”, diz trecho do boletim de ocorrência.

Uma denúncia anônima indicou onde o casal estava escondido. Com as informações, investigadores do 92º DP (Parque Santo Antônio) foram ao cemitério e encontraram o casal.

A mulher indicou onde o companheiro havia escondido uma das facas usadas no crime, que estava em uma moita, em meio a roupas sujas de sangue, que teriam sido usadas pelo acusado no momento do assassinato. A outra arma não foi encontrada.

O desempregado foi preso em flagrante. Segundo a polícia, ele negou o crime.