Dois jovens foram presos nesta manhã de quinta-feira, 12, em um prédio no bairro Alto da XV, em Curitiba. Eles são suspeitos de integrarem um grupo de hackers. As prisões foram feitas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná.

Os mandados de prisão são no âmbito da operação “Open Doors”, que apura crimes praticados por um grupo de hackers. Também foram cumpridos no Paraná cinco mandados de busca e apreensão (dois em Curitiba, dois em Campo Mourão e um em Ponta Grossa).

Dinheiro apreendido em apartamento de Curitiba – Foto: Gaeco

Foram apreendidos em Curitiba – no apartamento dos hackers presos – mais de R$ 600 mil e dois dois veículos. A dupla morava em Campo Mourão e alugou o apartamento em Curitiba. Em Campo Mourão foram apreendidos três veículos e cerca de R$ 38 mil, além de cartões bancários e equipamentos.

Os mandados foram expedidos pelo Juízo de Barra Mansa, no Rio de Janeiro, e integram operação deflagrada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Também são cumpridos mandados nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e São Paulo.

De acordo com as investigações, os hackers praticavam crimes patrimoniais, como a subtração de valores de contas bancárias de terceiros por meio de transações fraudulentas realizadas em sites falsos.

Operação Nacional

A “Open Doors” é uma das operações que ocorrem nesta quinta-feira (12) e faz parte de ação nacional de enfrentamento à corrupção e à lavagem de dinheiro deflagrada em nove estados pelos Ministérios Públicos estaduais. As ações regionais acontecem no Amazonas, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo e Sergipe e são promovidas pelos Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaecos), a partir de articulação do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC).