O menino João Nicastro nem sabia direito o que queria ser quando crescesse, mas, ao 10 anos de idade, gastava boa parte do seu tempo pensando em como ganhar um dinheirinho para melhorar a vida dele e da família pobre. Seu primeiro negócio foi numa caixa de isopor, em que vendia geladinho. Não imaginava que, na mesma rua que vendia seu Ki-suco congelado em Arapongas, norte do Paraná, iria abrir a primeira sede de sua empresa de crédito, anos depois.

“Eu me orgulho disso: sempre quis empreender! E veja o que é a vida. Bem naquela esquina que um rapaz me abordou e comprou meu primeiro geladinho, em que ficava uma casa de madeira, que comprei o terreno e construí um sobrado, que viria a ser meu primeiro imóvel pra ser a sede da minha primeira empresa de crédito. Sonhar é preciso, mas nunca foi fácil. Foi muito trabalho, mas deu certo”,

João Nicastro, CEO do J17Bank
nicastro
João Nicastro, CEO do J17Bank – Foto: Divulgação

O relato do empresário foi durante uma conversa com o jornalista Antonio Nascimento, no programa “Um Negócio que deu certo”, na Rádio Banda B. Nicastro contou detalhes de como foi sua trajetória até se tornar dono do J17Bank, com sede em Londrina, que oferece aos seus clientes produtos financeiros digitais e está no mercado de crédito há mais de 20 anos.

“Nossa maior meta é ter a força da ‘Faria Lima’, só que no interior do Brasil. Não dá pro investidor do agro, por exemplo, tomador de recurso, chegar lá em São Paulo e ser, digamos assim, um pouco esnobado. Nosso DNA, nossa alma está no interior. Nascemos e crescemos aqui. Nada mais justo que o foco do nosso negócio também esteja centrado, hoje em dia, neste importante pedaço do mercado”, contou.

nicastro1
João Nicastro, CEO do J17Bank – Divulgação

Esta é a visão do CEO e fundador da fintech J17, João Nicastro. Dentro do modelo regulatório, o J17 é uma Sociedade de Crédito Direto (SCD) e pode operar 100% dos seus produtos e serviços por meios digitais mas, por uma escolha estratégica e vocação, o atendimento dos clientes é personalizado. A Instituição Financeira, outorgada pelo Bacen (número 451), tem como principais serviços, além dos tradicionais de uma instituição financeira, o crédito consignado, antecipação de saque aniversário do FGTS e linhas de crédito para empresas.

Mas como este paranaense chegou tão longe? Nicácio contou à Banda B que, depois de vender geladinho nas ruas, conseguiu seu primeiro emprego como office-boy, aos 14 anos de idade. Saiu desta mesma empresa 17 anos depois, como diretor financeiro.

“Eu cresci junto com a empresa que comecei como office boy. Fui aproveitando as oportunidades lá dentro. Um ano depois que entrei, a empresa queria tirar o setor de departamento pessoal de um escritório de contabilidade para dentro da empresa. Foi assim que, aos 15 anos, me tornei chefe do RH. Foram anos sem nenhuma ação reclamatória na justiça. Fazia tudo certinho. Aos 19 anos fui promovido para o setor financeiro e logo já me tornei chefe do setor. Mais dois anos, e cheguei a diretor financeiro. Isso me fez conhecer muita gente na área de crédito. Foi então que chegou o momento de sair e abrir minha própria empresa, aos 31 anos”.

João Nicastro

Neste momento, o principal capital de Nicastro era a sua credibilidade. Os gerentes de banco confiavam nele, conheciam sua competência como operador financeiro. Foi assim que a Fintech que abriu, cresceu. Pegava dinheiro, emprestava e fazia o capital girar, sem falhar, sem deixar de pagar credores. Assim, com muito trabalho, conseguiu consolidar o J17Bank, que tem hoje como único proprietário

“Viemos para mostrar que as empresas do interior podem ser e ter as suas fintechs e o J17 fornece toda a estrutura, sistemas, serviços e inteligência para dar esse atendimento e suporte”, explicou Nicastro.

“Fazemos parte de um grupo consolidado, altamente regulado e investido por três fundos coligados. Somos uma startup jovem, rápida e digital, mas que tem um corpo diretivo maduro nos mercados de capitais, financeiros, bancários, de tecnologia e governança. Até parece um projeto conservador, mas é a responsabilidade de um time muito experiente e que conquistou a confiança do mercado, contou o empresário.

Ainda hoje, mesmo como CEO, João gosta de visitar e ouvir as principais empresas clientes do J17, com ele próprio diz: “somos modernos, mas à moda antiga”.

“Nosso orgulho é ser uma instituição financeira do interior, das pequenas e grandes cidades. Conhecemos os costumes da nossa gente, que valoriza uma prosa e a confiança. Sabemos o que esse cliente precisa e queremos ajudá-lo a crescer. Somos sofisticados quando o assunto é segurança, tecnologia e serviços, mas não abrimos mão da nossa essência simples”

Ah, e sobre o futuro?

“Como estamos num mercado muito regulado, vamos seguir, como sempre fiz na vida, aprendendo e com um passo atrás do outro, até a gente se tornar por exemplo, um banco múltiplo”. Um belo passo
para quem começou vendendo geladinho no interior do Paraná

Acompanhe o programa com João Nicastro na íntegra:

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

De vendedor de geladinho a dono de banco: conheça a história do paranaense João Nicastro

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.