O governador Ratinho Junior (PSD) sancionou a lei que terceiriza a gestão das escolas, horas após a aprovação do projeto na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nesta terça-feira (4). Segundo o Governo do Paraná, 204 unidades da educação estão elegíveis na rede estadual para receber o programa. Contrária à medida, a APP-Sindicato diz que os professores vão continuar a greve.

Apesar da sanção do governador, o Parceiro da Escola será instalado mediante consulta a comunidade escolar. A votação nas escolas escolhidas será preferencialmente de forma presencial.

assembleia legislativa parana professores
Professores protestam contra projeto que terceiriza gestão de escolas no Paraná. Ação aconteceu dentro da Assembleia Legislativa. Foto: Orlando Kissner/Assembleia Legislativa do Paraná

Diretora da APP-Sindicato, Marlei Fernandes, conversou com a Banda B e criticou a tramitação do Parceiro da Escola na Alep.

Amanhã ainda temos ato, a greve continua. E nós vamos, em breve, convocar uma assembleia para que a gente possa avaliar o movimento e os próximos passos. Entendemos que não se esgota aqui, entendemos que temos muitas outras ações ainda para realizar, mas essa é uma decisão coletiva da categoria que será convocada para avaliar os próximos passos.

Marlei Fernandes, diretora da APP-Sindicato.

Sobre as escolas terceirizadas no Paraná, Ela disse que a categoria entende ser “uma derrota no voto, mas não na sociedade”.

É uma derrota no voto, mas não é uma derrota na sociedade, nas escolas, com pais e mães. Nós entendemos que a maioria da comunidade já entendeu o quanto essa proposta é maléfica. Se a proposta fosse boa, os deputados não teriam que votar escondidos, não seria escondida, não tinha que fazer um tratoraço.

Marlei Fernandes, diretora da APP-Sindicato.

O que diz o Governo do Paraná?

O programa da Secretaria de Estado da Educação (Seed) afirmou que tem a finalidade de melhorar a gestão administrativa e de infraestrutura de escolas estaduais mediante parceria com empresas especializadas em gestão educacional.

Segundo a pasta, as empresas ficarão responsáveis pelo gerenciamento administrativo de escolas selecionadas e pela gestão de terceirizados na limpeza e segurança.

O próximo passo é a consulta aos professores, pais, alunos e responsáveis, que vão decidir, de forma democrática, se querem implantar o projeto em suas escolas. É uma nova dinâmica para que a melhor educação do País amplie seus horizontes.

Ratinho Junior, governador.

Oposição vai recorrer ao STF

Durante a manhã, a bancada de Oposição recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar suspender a tramitação do projeto. O documento foi assinado por oito deputados estaduais que compõem a bancada, além de Mabel Canto (PSDB).

Os parlamentares exigem que “seja apresentada a estimativa do impacto financeiro que a terceirização deve causar aos cofres públicos estaduais”.

Além disso, argumentam que, em 2018, a Suprema Corte decidiu que, na rede pública, ficaria proibida a terceirização de professores.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Ratinho Junior sanciona lei que terceiriza gestão das escolas no Paraná; sindicato diz que professores continuam greve

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.