Quase 60% das estradas apresentam problemas no Paraná, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (29) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Ao todo, 59,2% da malha rodoviária pavimentada apresenta algum tipo de problema, sendo considerada regular, ruim ou péssima; enquanto 40,8% da malha é considerada ótima ou boa. O levantamento aponta que os investimentos necessários para a recuperação, com ações emergenciais e de manutenção, dependem de R$ 5,45 bilhões.

Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Ao todo, a Pesquisa CNT de Rodovias analisou 6.386 km no Paraná. Quando considerado o pavimento, 53,7% apresenta problemas e 46,3% tem condição satisfatória.

Além do pavimento, a classificação do estado geral avalia outras duas características: sinalização e geometria da via. Em 53% dos trechos avaliados, ela é considerada ótima ou boa, enquanto em 47%, regular, ruim ou péssima. Já a geometria da via é bem avaliada em 40,7%, enquanto em 59,3% apresenta problemas.

O levantamento aponta que o prejuízo gerado por acidentes foi de R$ 1,46 bilhão em 2022. No mesmo ano, o governo gastou R$ 36,25 milhões com obras de infraestrutura rodoviária de transporte.

Custos

Segundo a pesquisa, os investimentos necessários para recuperar as rodovias no Paraná, com ações emergenciais (reconstrução e restauração) e de manutenção, dependem de R$ 5,45 bilhões.

Estima-se que, ao longo de 2023, o consumo desnecessário diesel chege aos R$ 61,8 milhões devido à má qualidade do pavimento da malha rodoviária no estado. O desperdício custará R$ 406,31 milhões aos transportadores.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Quase 60% das estradas apresentam problemas no Paraná; manutenção depende de R$ 5,45 bilhões

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.