O Paraná teve, em uma semana, mais 26 novas mortes confirmadas por dengue. A informação foi publicada no boletim semanal da dengue que saiu nesta terça-feira (7), pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Também foram confirmados 38.468 novos casos da doença. 

brasil-500-mil-casos-dengue-boletim
Foto: Arquivo/Agência Brasil.

De acordo com o documento, referente ao período epidemiológico 2023/2024, que teve início em julho de 2023, foram registrados 239 óbitos, 331.804 casos confirmados, 628.378 notificações e 111.601 casos seguem em investigação.

As mortes incluídas no boletim desta semana, segundo a Sesa, ocorreram entre 3 de março e 28 de abril. São 10 homens e 16 mulheres com idades entre 14 e 93 anos.

As vítimas moravam em 17 municípios: Piraquara, Saudade do Iguaçu, Dois Vizinhos, Francisco Beltrão, Marmeleiro, Nova Esperança do Sudoeste, Planalto, Santa Izabel do Oeste, Boa Vista da Aparecida, Cascavel, Lindoeste, Nova Aurora, Três Barras do Paraná, Ivaté, Amaporã, Sabaudia, Cornélio Procópio. Dezessete destas pessoas tinham comorbidades.

A Regional com mais casos confirmados até o momento é a 8ª RS de Francisco Beltrão, com 45.230 diagnósticos. Na sequência, estão a 10ª RS de Cascavel (43.458), 17ª RS de Londrina (32.996), 16ª RS de Apucarana (32.819), 15ª RS de Maringá (28.041) e 11ª RS de Campo Mourão (24.867).

As cidades com mais casos são Londrina (22.369), Cascavel (21.063), Apucarana (17.146), Maringá (16.719) e Francisco Beltrão (12.236). Há 398 municípios com diagnósticos da doença confirmados – apenas Agudos do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba não tem conformações.

Em relação aos óbitos por dengue, do período epidemiológico 2023/2024, as Regionais com mais mortes são a 10ª de Cascavel (38), 17ª de Londrina (37), 8ª de Francisco Beltrão (30), 20ª de Toledo (28) e 16ª de Apucarana (24). Já os municípios que registram maior número de óbitos são Londrina (23), Cascavel (23), Toledo (17), Apucarana (14) e Cornélio Procópio (11).

Zika e Chikunguya

Informações sobre chikungunya e zika, transmitidas também pelo mosquito Aedes aegypti, estão no mesmo documento. Houve o registro de um novo caso de chikungunya, somando 127 confirmações e 1.465 notificações da doença no Estado. Desde o início deste período não houve confirmação de casos de zika vírus. Foram registradas 120 notificações.

Infestação predial

A Sesa divulgou também o novo boletim de infestação predial que apresenta o levantamento entomológico para o Aedes aegypti. O Paraná tem 376 municípios infestados, representando 94,23% do Estado.

No período de 1º de março a 30 de abril, dos 399 municípios do Paraná, 50 estavam classificados em situação de risco de epidemia, 169 em alerta e 50 em situação satisfatória para o IIP (Índice de Infestação Predial). Outros 124 não enviaram informações ou não realizaram o monitoramento. A cidade com maior índice de infestação predial é Ventania, nos Campos Gerais, com IIP de 17,2%.

Levantamento

O Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD) define depósito como todo recipiente utilizado para finalidade específica que armazene ou possa vir a armazenar água e que esteja acessível à fêmea do mosquito, ou seja, é o local que acumula água onde ela deposita seus ovos.

Dentre os principais criadouros, 77% são depósitos móveis ou passíveis de remoção – recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas em pátios e ferros velhos, entulhos de construção, pneus, vasos de plantas, bebedouros e recipiente para degelo de geladeiras, entre outros.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Dengue no Paraná: novo boletim aponta 26 novas mortes, em 17 cidades, entre elas Piraquara

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.