O empresário Tales de Carvalho, filho do escritor Olavo de Carvalho, é alvo de uma investigação da Polícia Civil do Paraná (PCPR). Ele é acusado pela ex-esposa, Calinka Padilha de Moura, de estupro, tortura, violência psicológica e pedofilia.

As denúncias vieram à tona após matéria do jornalista Guilherme Amado, do portal Metrópoles. A reportagem ouviu Calinka e outras cinco mulheres que relataram episódios de violência física, sexual e psicológica que teriam sido cometidos pelo filho de Olavo de Carvalho. Duas filhas de Tales também foram ouvidas e confirmaram os relatos da mãe, além de revelarem terem visto vídeos de abusos sexuais infantis no computador do pai.

3534gerg
Foto: Reprodução

Em nota, a PCPR afirma que está reunindo elementos para retomar a investigação sobre as denúncias feitas por Calinka

“Entre as primeiras medidas em andamento estão a busca pelo contato da mulher, que chegou a registrar um Boletim de Ocorrência Online no Estado relatando ameaça, mas não chegou a representar contra o autor”, diz o comunicado.

A PCPR teria tentado localizar a mulher por diversas vezes, inclusive entrando em contato com sua mãe e com seu advogado, porém a mesma não compareceu à delegacia para dar andamento ao procedimento. A Casa da Mulher Brasileira mantém registro de todas as mulheres que buscam atendimento na Delegacia da Mulher, sendo necessário tal cadastro antes de ser atendida pela Polícia Civil. Não há registro de que a vítima tenha comparecido presencialmente ao local, ainda de acordo com a PCPR.

“Como o Boletim de Ocorrência foi registrado pela internet, há uma série de orientações durante esse procedimento que informam da necessidade do comparecimento à delegacia para realizar a representação contra o autor”, explica a PCPR.

Os investigadores também estariam buscando eventuais outros crimes cometidos no Paraná coordenados pela delegada Luciana de Novaes, chefe da Divisão de Polícia Especializada da PCPR.

Defesa

Tales de Carvalho se defendeu em nota divulgada à imprensa e assinada por seu advogado afirmando que as acusações das quais é alvo teriam sido feitas para privá-lo da guarda da filha menor.

Padrão edição – não apagar.01_00_19_06.Quadro379
Foto: Reprodução

“Quanto às acusações feitas a Tales por sua ex-mulher Calinka, as quais já havia divulgado amplamente em 2021, convém recordar que foram utilizadas por ela para tentar privá-lo da guarda da filha menor. A justiça não deu crédito a essas mentiras, a guarda foi decidida em favor de Tales e Calinka se comprometeu com não repeti-las em troca da extinção de duas queixas-crime (vã promessa, como se vê)”, escreveu o advogado Frank Romulado Reche Maciel.

No texto, Tales também se defende de outras acusações referentes ao seu casamento com Ana Cipolla desde quando ela tinha 14 anos e de quando ele virou notícia, em março deste ano, por suspostamente mandar uma estudante goiana de 19 anos fugir para desrespeitar decisão judicial.

Leia a nota na íntegra:

“Tales de Carvalho vem esclarecer que, através de seus advogados, atuou em favor Manoela Simões a pedido desta e perante a Delegacia do Aeroporto de Guarulhos, buscando, com sucesso, interromper a viagem em que seu pai, acompanhado de um policial à paisana, a estavam conduzindo à força para Goiás. Outros detalhes do caso, sugere-se, podem ser esclarecidos diretamente com ela.

Quanto ao casamento de Tales com Ana Cipolla, é um fato público que Tales e ela se enamoraram quando ela tinha 14 anos, passando a morarem juntos quando ela já contava com 18 anos, depois do casamento segundo a religião islâmica.

Quanto às acusações feitas a Tales por sua ex-mulher Calinka, as quais já havia divulgado amplamente em 2021, convém recordar que foram utilizadas por ela para tentar privá-lo da guarda da filha menor. A justiça não deu crédito a essas mentiras, a guarda foi decidida em favor de Tales e Calinka se comprometeu com não repeti-las em troca da extinção de duas queixas-crime (vã promessa, como se vê).”

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Após acusação que envolve estupro, tortura e pedofilia, filho de Olavo de Carvalho vira alvo de investigação da Polícia Civil do Paraná

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.