(Foto: Reprodução)

Primeira vítima identificada no rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão , em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, Marcelle Porto Cangussu, de 35 anos, era médica com especialização em Medicina do Trabalho e trabalhava há cerca de cinco anos na Vale. O corpo foi reconhecido através das impressões digitais. Única profissional da área no local, ela estava em horário de almoço, no próprio lugar onde dava expediente, quando a tragédia aconteceu.

Mirelle Porto, mãe da vítima, relatou ao EXTRA que, na noite anterior ao rompimento da barragem, a família comemorou o aniversário de Marcelle.

Para ler a matéria completa no Extra clique aqui.