O Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) determinou, na tarde desta terça-feira (6), o arquivamento da investigação contra o Padre Robson de Oliveira. O religioso era investigado pelo Ministério Público (MP-GO) no âmbito da Operação Vendilhões, que apurava irregularidades nas Associações Filhos do Pai Eterno (Afipes), que tinham Padre Robson como presidente. A informação é do Diário de Goiás.

Padre Robson – Foto Divulgação

A decisão foi do desembargador Nicomedes Domingos Borges. Ela foi acompanhada quase por unanimidade pela 1ª Câmara Criminal. A sessão teve participação do Procurador de Justiça Abrão Amisy Neto, que votou contra.

O Ministério Público de Goiás informou que vai esperar notificação para só depois de manifestar a respeito da decisão.

O padre Robson era investigado na Operação Vendilhões, deflagrada pelo MPGO (Ministério Público de Goiás), no dia 21 de agosto deste ano. Ele era suspeito de praticar lavagem de dinheiro e de crimes de apropriação indébita, organização criminosa, sonegação fiscal e falsidade ideológica.

Na decisão, o desembargador Nicomedes afirmou que não existem provas suficientes de que o dinheiro doado pelos fiéis tinham desvios de finalidade. “A Afipe se trata de uma associação civil evangelizador e, para atender às suas necessidades, poderá criar atividades como instrumento captador de recursos financeiros.” justificou.

A acusação era de que os crimes teriam sido cometidos através da Afipe, que é responsável pela Basílica de Trindade (GO). Segundo o Ministério Público, as movimentações financeiras analisadas na investigação somaram R$ 1,7 bilhão.

Defesa

O advogado Pedro Paulo de Medeiros, que defende o padre Robson de Oliveira, afirmou que, se o Ministério Público de Goiás  tivesse ouvido o religioso, ele teria dado a explicação que deu ao Tribunal de Justiça de Goiás e o caso já teria sido resolvido.

Segundo ele, houve uma exposição desnecessária do padre, e ele aguarda, agora, que a igreja e a Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) decidam o futuro dele.

Por nota a Afipe informou: “A Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), continuará o trabalho de auditoria, reforma administrativa, implantação de governança e demais ações que estão em andamento na associação. Tais medidas são fundamentais para o renascer da Nova Afipe e para que a entidade possa continuar cumprindo com sua principal missão que é evangelizar e manter suas ações sociais, a obra da nova Basílica em Trindade e a TV Pai Eterno. Sendo, o mais importante, a confiança do devoto do Pai Eterno nas ações da entidade e na transparência que a atual gestão defende e trabalha”.

Operação e afastamento

A Operação Vendilhões foi deflagrada em agosto, mas a investigação já vinha desde o caso de extorsão do Padre Robson. A Justiça chegou a negar um pedido de prisão do religioso quando o MP-GO cumpriu mandados de busca e apreensão. As suspeitas eram de desvio de finalidade, fraudes, entre outras.

Leia mais AQUI