Chegou a 15 o número de mortes causadas pelas enxurradas no vale do Itajaí, em Santa Catarina, após as fortes chuvas que caíram pelo estado desde a madrugada de quinta-feira (17). A informação foi confirmada neste sábado (19) pela Defesa Civil, em boletim divulgado por volta de 11h. A nova vítima é de Rio do Sul, cidade que agora soma dois óbitos e 21 desabrigados pela tragédia.

 

As imagens mostram a destruição na localidade de Ribeirão Revolver e também a limpeza no centro da cidade. Foto: RICARDO SILVA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

 

O prefeito de Rio do Sul, José Thomé, decretou estado de calamidade pública no município por conta dos estragos.
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobrevoaria a região do vale do Itajaí ainda neste sábado.

O município mais atingido pela enxurrada é Presidente Getúlio, que soma 12 óbitos, 7 desaparecidos, 147 desabrigados, 137 desalojados e mais 1,6 mil pessoas afetadas. Segundo a Defesa Civil do estado, só em Presidente Getúlio, foram registrados 120 mm de chuva em apenas seis horas –pouco menos do que o previsto para o mês todo.

A outra morte foi na cidade de Ibirama, que ainda teve mais 64 desalojados e 16 desabrigados. Pelo menos mais 12 municípios foram afetados de alguma forma pela enxurrada. Em Aurora, ocorreram alagamentos em diversos pontos da cidade, transbordamento de lagoas e inundação de residências.

Já em Apiúna, os danos foram em estruturas públicas, pontilhões e ruas. Em Palhoça, foram 60 ocorrências, 8 deslizamentos, 5 casas interditadas e diversas ruas inundadas. De acordo com o Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina, o tempo continua instável no estado.

Existe o risco de temporais localizados com acumulado significativo de chuva em curto intervalo de tempo, raios, intensas rajadas de vento e granizo. No Oeste do estado, o esperado é uma condição de acumulado de chuva em torno de 100 mm durante todo o fim de semana.