O Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres) divulgou um comunicado em que cita um risco “muito alto” da permanência de inundações em regiões do Rio Grande do Sul neste sábado (18). O estado é atingido por enchentes desde o final de abril.

GUAIBA – COMPORTA
PORTO ALEGRE, RS, 17.05.2024 – GUAIBA – COMPORTA ? A água começa a baixar na Rua Bento Martins, enquanto o Lago Guaíba segue em baixa, com a marca de 4,64 metros, ainda acima da cota de inundação que é de três metros, no Centro Histórico, em Porto Alegre, nesta sexta-feira (17). (Foto: Donaldo Hadlich/Código 19/Folhapress)

O que aconteceu

Alerta, emitido nesta quinta-feira (17), cita as mesorregiões Centro-Oriental, Sudeste Rio-Grandense e a região metropolitana de Porto Alegre. Municípios como Lajeado, Cruzeiro do Sul e Pelotas, que já sofrem com as fortes chuvas, são alguns que fazem parte dessas regiões.

Acumulados das chuvas das últimas semanas é um dos motivos para a manutenção das inundações, explica Cemaden. O órgão também cita o deslocamento das ondas de cheia e condições de saturação do solo.

Cemaden ressalta situação da Bacia do Lago Guaíba. Ela recebe toda água que se desloca pelas bacias dos Rios Jacuí, Taquari-Antas, Caí, Sinos e Gravataí, todas ainda com níveis dos rios elevados.
Essa condição, explica o órgão, agrava a situação de Porto Alegre. O nível do Lago Guaíba na capital estava em 4,62mm às 17h15. O alerta também cita preocupação para os municípios banhados pela Lagoa dos Patos, que permanecem com registro de inundação por causa da água que vem do Guaíba.

Órgão também cita risco “alto” para as mesorregiões Norte e Sul Catarinense, Vale do Itajaí e Grande Florianópolis. Podem ocorrer pancadas de chuva forte, levando a alagamentos e inundações.

Inundação atingiu 344 mil imóveis

A inundação no RS atingiu 344 mil imóveis, segundo análise do UOL com base em um mapa que estima a área atingida, elaborado pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

São 293 mil residências, 41 mil construções comerciais, 2.600 imóveis rurais e 1.300 igrejas. Além disso, 759 estabelecimentos de saúde, como hospitais e consultórios. E 662 estabelecimentos de ensino, como escolas, creches e faculdades. E mais 5,2 mil imóveis de outros tipos.

Um sobrevoo digital preparado pelo UOL mostra o tamanho da área atingida e o que ficou debaixo da água e da lama. São 300 quilômetros de extensão. E quase 3.500 quilômetros quadrados – mais que as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, juntas.

Enchentes no RS já deixaram 154 mortos, segundo boletim da Defesa Civil divulgado às 18h desta sexta. São 2.304.422 de pessoas afetadas, sendo 540.188 desalojados e 78.165 pessoas em abrigo.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Rio Grande do Sul tem alerta para risco ‘muito alto’ de inundações neste sábado

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.