O Ministério Público do Distrito Federal e a Polícia Civil deflagraram na manhã desta quinta-feira, 2, a Operação Falso Negativo, para apurar irregularidades na compra de testes para a Covid-19 pelo governo do DF. Segundo os investigadores há fortes indícios de superfaturamento na aquisição dos insumos e ainda evidência de que as marcas compradas “seriam imprestáveis para a detecção eficiente do novo coronavírus ou de baixa qualidade na detecção” do novo coronavírus.

Os mandados de busca e apreensão da operação ‘falso negativo’ são cumpridos nas cidades:

Distrito Federal: Brasília;
Goiás: Formosa e Goiânia;
Paraná: Curitiba, Maringá, São José dos Pinhais e Pinhais;
São Paulo: Santana do Parnaíba, Cotia, Itapevi Barueri e São Paulo;
Santa Catarina: Joinville, Balneário Camboriú, Ilhota e Navegantes;
Espírito Santo: Serra, Cariacica e Vitória;
Rio de Janeiro: Rio de Janeiro e Nova Iguaçu;

A investigação mira em contratos que somados ultrapassam R$ 73 milhões e foram fechados por meio de dispensa de licitação, diz o MP-DFT.

Ilustrativa

O governo do DF se manifestou por meio de nota. “Todos os testes comprados, recebidos através de doações ou enviados pelo Ministério da Saúde tem o certificado da Anvisa e portanto foram testados e aprovados pelo órgão Federal. Quanto aos preços, representam os valores praticados no mercado e as compras foram efetuadas avaliando as marcas apresentadas, os certificados de qualidade e os menores preços apresentados pelas empresas nas propostas.”

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Com mandados no Paraná, MP de Brasília mira fraudes na compra de testes da covid-19

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.