Sob sol intenso, calor de 31ºC e sensação térmica ainda maior, as praias do município do Rio de Janeiro lotaram novamente neste sábado, 12, embora menos do que no final de semana anterior, que emendou com o feriado da Independência do Brasil e permitiu que, com três dias de folga, mais turistas visitassem ao Rio. Mesmo com menos gente, a aglomeração voltou a acontecer neste sábado pelo menos nas praias de Copacabana e Ipanema, visitadas pela reportagem.

Foto: BRUNO MARTINS/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

 

Desde março está proibido permanecer na areia das praias do Rio, e a prefeitura alega que tem fiscalizado regularmente. A reportagem não encontrou nenhuma fiscalização enquanto circulou por essas praias, das 14h30 às 15h15 deste sábado.

Em nota divulgada neste sábado, a Prefeitura do Rio de Janeiro informou que 40 guardas municipais fiscalizaram a orla nesta data e aplicaram 296 multas por irregularidades como estacionamento em local proibido.

Outros 271 guardas fiscalizaram as praias, e o balanço de multas aplicadas neste sábado e domingo será divulgado durante a próxima semana.

De 5 de junho e 10 de setembro, a Guarda Municipal registrou 7 100 multas sanitárias, sendo 5.734 (80,76%) pela falta do uso de máscaras (5.443 em vias públicas e 291 dentro de estabelecimentos comerciais); 519 (7,3%) em estabelecimentos essenciais que estavam funcionando fora do horário fixado; 178 (2,5%) por aglomeração em estabelecimentos, incluindo filas, e 167 (2,35%) em casos de aglomerações em vias públicas; 285 (4,01%) em estabelecimentos e atividades não autorizados a funcionar; 214 (3,01%) em estabelecimentos e atividades essenciais fora das condições impostas por lei.

Na sexta-feira, o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) cogitou liberar o acesso do público aos estádios, em jogos de futebol, como forma de reduzir a lotação das praias. Por enquanto, os jogos de futebol têm acontecido sem torcida. “Nossa esperança é que as pessoas, indo para os estádios no domingo, não vão para a praia. Estamos tentando combinar, até antecipar os horários dos jogos um pouco. No estádio tem espaçamento e todos de máscara direitinho”, afirmou o prefeito.

A ideia da prefeitura é que o Maracanã, que tem capacidade para quase 79 mil pessoas, fique limitado a receber de 10 mil a 12 mil lugares – cerca de 15% da lotação. Mas essa proposta ainda está em análise.

Outra medida anunciada na sexta-feira pelo prefeito para tentar reduzir o número de banhistas foi a proibição de estacionamento de automóveis ao longo de toda a orla do município, aos sábados, domingos e feriados. Nada capaz de impedir a aglomeração que se repetiu neste sábado.