“Só por curiosidade: quando está quente a culpa é sempre do possível aquecimento global e quando está frio fora do normal como é que se chama?”.

= Foto: MARIVALDO OLIVEIRA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

O questionamento acima foi feito por um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), em sua conta oficial no Twitter no último domingo, 7 de julho, em meio a uma onda de frio que fez as temperaturas caírem no Sul e no Sudeste do Brasil.

Na rede social, a opinião dividiu os usuários. Para os apoiadores do parlamentar, o comentário reforça a tese de que o aquecimento global não existe. Já seus críticos apontaram para desinformação sobre o assunto.

Não é a primeira vez que Carlos Bolsonaro coloca em xeque o aquecimento global. Ele e os outros filhos do presidente têm um histórico de críticas e deboche quanto ao tema.

Logo após ser eleito, o próprio Bolsonaro ameaçou retirar o Brasil do Acordo de Paris, mas voltou atrás na decisão. O tratado, assinado por 195 países, quer reduzir a emissão de gases de efeito estufa (GEE), um dos vilões por trás do aquecimento global, segundo a comunidade científica. Pelo acordo, o Brasil deverá reduzir em 37% suas emissões até 2025 e chegar a 43% em 2030.

Coincidentemente, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também recorre ao Twitter para fazer comentários semelhantes. Ele retirou o país do pacto global pelo clima em junho de 2017.

Em janeiro deste ano, por conta de uma onda de frio intensa que atingiu o Meio-Oeste dos Estados Unidos, Trump tuitou a pergunta: “Se o mundo está ficando mais quente, por que, então, está fazendo tanto frio nos EUA”?

Como Trump e Carlos Bolsonaro, muitas pessoas acreditam ser exagerada ou mesmo falsa a preocupação com o aquecimento global.

Para ler a matéria completa na BBC Brasil clique aqui.