O Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19 foi lançado nessa quarta-feira (16/12). O documento segue sem data de início da vacinação no Brasil e indica que o governo federal está em negociação com seis laboratórios desenvolvedores de vacinas contra a doença, entre elas, a Pfizer/BioNTech, única empresa com doses já aplicadas em países do ocidente.

Foto: Geraldo Bubniak/ANPr

 

A demora na definição desses pontos é motivo de angústia por parte da comunidade médico-científica. Na visão do presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Juarez Cunha, “infelizmente, por incompetência, nós teremos vacinas tardiamente”.

Em entrevista ao Metrópoles, o representante da entidade afirma que, assim como o uso da máscara, a higiene das mãos e o respeito ao distanciamento social, a vacina vai fazer parte da solução da pandemia provocada pelo novo coronavírus, infecção que matou mais de 1.6 milhão de pessoas em todo o mundo. Ao todo, já foram registrados mais de 73.7 milhões de casos.

Para ler a entrevista completa no Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.