(Foto: Reprodução)

 

O menino Tovick Coelho, de 16 anos, morto no Centro de Paraty, Costa Verde do estado do Rio, durante um tiroteio entre a Polícia Militar e assaltantes, foi socorrido como um dos suspeitos. No momento da morte, ele vestia a camisa do colégio e tinha uma mochila com cadernos. O jovem estava indo para a escola quando uma quadrilha trocou tiros com policiais durante um assalto. A PM chegou a divulgar à imprensa que Tovick integrava o bando, o que revoltou a família do garoto.

— A polícia informou que balearam um bandido. Meu filho não era um bandido. Era um estudante — afirma o pai de Tovick, Aldir Coelho, de 41 anos:

— Eles atiraram para matar o meu filho, que estava com camisa de colégio e mochila. A vida do meu filho era o colégio. Aqui em Paraty o pessoal está todo revoltado. Meu filho não é bandido, é da igreja e todo mundo conhece ele. Ele foi para o hospital escoltado pela polícia. Quando tive a notícia do meu filho, a polícia estava fazendo escolta do meu filho. Tinham quatro, cinco PMs fazendo escolta.

Leia a reportagem aqui.