Eva Luana postou cinco fotos no Instagram contando sua história com o agressor. Foto: @evalluana

 

Eva Luana, de Camaçari, na Bahia, viralizou nas redes sociais após denunciar no Instagram, na terça-feira, 19, seu padrasto por violência física e psicológica contra ela, a sua mãe e a irmã.

Ela diz ter sido obrigada pelo homem a comer o próprio vômito e sofria perseguição. “Ele desinstalava o meu WhatsApp e reinstalava para poder recuperar as minhas conversas apagadas. Eu não podia namorar ou sair com meus amigos. Todos os vínculos eram vigiados”, relata na rede social.

Eva Luana revela também que foi estuprada e abusada financeiramente. “Não tínhamos autoridade para comprar ou utilizar o dinheiro como queríamos. Tapas inesperados, gritaria e agressões eram constantes”, lamenta. Além disso, a jovem conta que sua mãe apanhou muito quando estava grávida e teve um parto prematuro, perdendo o filho seis dias após o nascimento.

Além disso, a baiana tentou se suicidar diversas vezes, pois não aguentava a pressão psicológica que o padrasto fazia em sua vida. No entanto, ela diz ter conhecido um “anjo” que lhe apresentou a Justiça e, desde então, “todos colaboram com uma cadeia de solidariedade e amor”.

Após uma série de agressões, Eva expõe que está sob proteção jurídica e o criminoso ainda não foi preso. “Estamos em segurança, mas ao mesmo tempo correndo riscos. Medo me define”, aponta.