A chuva que atingiu o sul do Espírito Santo desde a noite de sexta-feira (22) deixou 17 mortos, 5.200 desalojados e 255 desabrigados. As informações são do último boletim da Defesa Civil, divulgado no fim da tarde deste domingo (24).

Das mortes, 15 ocorreram em Mimoso do Sul e duas em Apiacá. Do total de mortos, dez já foram identificados, de acordo com o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande. Ele visitou os municípios de Mimoso do Sul, Bom Jesus do Norte e Apiacá, que foram os mais afetados pela chuva, e conversou com jornalistas, no final da tarde deste domingo.

Em Mimoso do Sul, nos locais que abrigam vítimas da chuva há atendimento psicológico. “Hoje, teve lá uma situação muito triste, sensível, de uma criança que perdeu a mãe e só chamava por ela. Quando chegou de helicóptero só queria saber da mãe”, relata o governador.

chuva-espírito-santo
Cidades do sul do Espírito Santo foram atingidas por fortes chuvas no sábado (23). Foto: Divulgação/Governo do Espírito Santo

Há desalojados em Vargem Alta (1.000), Guaçuí (200), Bom Jesus do Norte (3.000) e Apiacá (1.000).
Apiacá é a cidade que concentra a maior parte dos desabrigados em decorrência da chuva. São 179. Em seguida, está Bom Jesus do Norte, com 64. Mimoso do Sul -município mais atingido pela tragédia- tem 12 desabrigados.

Nos municípios afetados pelas chuvas, as pessoas estão limpando as casas e lojas. O mesmo acontece nas ruas. “É o momento de fazer um balanço do que pode ser aproveitado”, afirma Casagrande.

“Nós encaminhamos hoje para dois municípios caminhões basculantes, uma pá carregadeira, uma retroescavadeira e dois carros-pipa. A maior necessidade é carro-pipa. Os municípios estão se ajudando. Tem uma grande mobilização nas cidades em torno da limpeza”, relata o governador.

A previsão inicial de chuva para o Espírito Santo era de 120 milímetros, no máximo. Em cinco horas choveu 304 milímetros em Bom Jesus do Norte e 230 em Mimoso do Sul.

“A previsão que foi publicada e divulgada por todos os boletins é que ia cair o mundo no Rio de Janeiro e aqui no sul do estado iria chover 120 milímetros, o que nós suportamos de acordo com a nossa estrutura. Nós temos hoje um grande programa de adaptação às mudanças climáticas, que é investimento em infraestruturas. Só que quando chove 300 milímetros, não tem infraestrutura que dê conta do recado”, destaca o governador.

O risco de deslizamentos de terra e quedas de barreira é muito alto em Bom Jesus do Norte e alto em Mimoso do Sul, Muniz Freire, Guaçuí, Alegre, Vargem Alta, Jerônimo Monteiro, Linhares, Rio Novo do Sul e Presidente Kennedy.

Há também o risco hidrológico, com destaque para as bacias dos rios Pomba e Muriaé, e as partes
baixas das bacias dos rios Itapemirim e Itabapoana.

“A quantidade de casas destruídas nas margens dos rios é grande. Vai ter que ter aluguel social, abrigo. Vai ter que construir casas. Hoje, o presidente Lula ligou na parte da manhã e se colocou à disposição”, disse Renato Casagrande.

O governo do Espírito Santo vai liberar o Cartão Reconstrução -um auxílio de R$ 3.000 pago às famílias de baixa renda que foram atingidas pelas chuvas.

Ainda no pacote de medidas econômicas, os empreendedores terão linhas de financiamento especiais, além da prorrogação das operações de crédito em curso pelo prazo de seis meses. Serão investidos R$ 50 milhões para subsidiar as operações junto ao Banco do Estado do Espírito Santo e ao Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo, por meio do Fundo de Fortalecimento da Economia Capixaba.

Além disso, serão abertas novas linhas para o microcrédito, por meio da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo.

Neste sábado (23), o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, decretou situação de emergência em 13 municípios devido à chuva que atingiu a região sul capixaba.

O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial do Estado e vale para Alegre, Alfredo Chaves, Apiacá, Atílio Vivacqua, Bom Jesus do Norte, Guaçuí, Jerônimo Monteiro, Mimoso do Sul, Muniz Freire, Muqui, Rio Novo do Sul, São José do Calçado e Vargem Alta.

RIO DE JANEIRO TEM 594 DESABRIGADOS E 8 MORTOS DEVIDO À CHUVA

Em todo o estado do Rio de Janeiro, 594 pessoas ficaram desabrigadas e 173 desalojadas. O Corpo de Bombeiros atendeu 237 ocorrências relacionadas às chuvas, de acordo com o boletim do governo do estado. Oito pessoas morreram e 160 foram resgatadas com vida. Oito morreram.
Até a noite deste domingo, os bombeiros do estado do Rio atuaram em 111inundações/alagamentos, 30 desabamentos/deslizamentos, e 52 cortes de árvores.

Petrópolis e Teresópolis, na Região Serrana, permanecem em risco muito alto de deslizamento, segundo o Cemaden (Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais) do Rio.
Até o início da tarde deste domingo, a Defesa Civil de Petrópolis, na região Serrana do Rio, contabilizou 535 ocorrências em decorrência da chuva que começou na quinta-feira (21). Do total, houve 367 deslizamentos.

Os bombeiros resgataram nove pessoas com vida no bairro Independência e no Caxambu. No Independência, a chuva fez quatro vítimas fatais.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Número de mortes pela chuva no Espírito Santo sobe para 17

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.