Lama no Córrego do Feijão dividiu estrada em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte. Foto: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO
O número de mortes confirmadas até por volta das 17h45 deste sábado, 26, em Brumadinho (MG), onde ocorreu na sexta-feira (25) a ruptura de uma barragem da Vale, chega a 34, segundo informou o Corpo de Bombeiros. De acordo com o novo balanço, já foram identificados 81 desabrigados. Além disso, 23 pessoas estão hospitalizadas. Centenas de pessoas estão desaparecidas.

O novo balanço faz com que o desastre de Brumadinho supere oficialmente em número de mortes a tragédia ocorrida em 2015 na cidade de Mariana (MG). Na época, a enxurrada de lama decorrente da ruptura da Barragem do Fundão resultou na morte de 19 pessoas

Desde sexta, o comitê criado pelo governo federal para acompanhar o caso já trabalhava com a expectativa de que a tragédia humana decorrente da ruptura da barragem da Vale superasse o episódio de três anos atrás.

Presidente

O presidente Jair Bolsonaro sobrevoa na manhã deste sábado, 26, a área onde ocorreu o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG), onde até o momento foram contabilizadas nove mortes. Bolsonaro desembarcou no aeroporto de Confins, pouco depois das 10h da manhã e deve retornar ao local após o sobrevoo, para uma reunião com autoridades locais e representantes da companhia.

O presidente está acompanhado dos ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Santos Cruz (Secretaria de Governo) e Fernando Azevedo e Silva (Defesa). A primeira-dama Michelle Bolsonaro não viajou para Minas, de acordo com a Assessoria do Palácio do Planalto.