O rombo gerado nas contas da Previdência por servidores públicos é quase dez vezes maior do que o déficit provocado por trabalhadores da iniciativa privada, informou nesta quarta-feira (12) o Tesouro Nacional.

Em relatório que analisa o patrimônio da União, o órgão do Ministério da Economia compilou dados sobre os gastos com Previdência. De acordo com o documento, o déficit gerado por um militar é quase 18 vezes maior do que o registrado na iniciativa privada.

Foto: EBC

Os dados mostram que embora o montante do rombo do INSS seja maior, proporcionalmente os servidores civis e militares geram um descompasso muito mais elevado nas contas.

Em média, cada beneficiário do setor privado gerou um déficit de R$ 6,4 mil em 2018. O rombo chega a R$ 63 mil no ano para cada servidor civil e alcança R$ 115 mil para um militar.

Por representar uma fatia mais expressiva da população, o Regime Geral apresenta um déficit maior do que os outros regimes. No ano passado, ficou negativo em 2,85% do PIB (R$ 194,3 bilhões).

O rombo do regime dos servidores, por sua vez, ficou em 0,68% do PIB (R$ 46,5 bilhões). O sistema dos militares ficou negativo em 0,64% do PIB (R$ 43,9 bilhões). Nos três casos, o déficit cresce ano a ano.

“Apesar de o resultado negativo do Regime Geral ser mais relevante em relação ao PIB, o desequilíbrio é muito maior dentro do regime dos servidores e do sistema de proteção social dos militares”, afirma o Tesouro.