O vice-presidente do país, general Hamilton Mourão (PRTB), afirmou na manhã desta segunda-feira (14/12) que “é necessário aguardar” para ter certeza da aquisição da vacina Coronavac, fabricada pela chinesa Sinovac. A questão foi levantada devido à ausência da Coronavac no documento do Plano Nacional de Imunização, enviado pelo Ministério da Saúde ao Supremo Tribunal Federal (STF), no sábado (12/12).

BRUNO BATISTA/ VPR

 

“Isso aí a gente tem de ver mais para frente. Vamos pensar só em uma coisa: quem comprou a Coronavac? Nenhum país comprou a Coronavac. Está todo mundo comprando Pfizer ou outras aí. Vamos aguardar né, gente? Também estou angustiado, quero ser vacinado. Estando regulamentado, ok! Sem problemas”, declarou Mourão.

No plano apresentado, o Ministério da Saúde afirma que garantiu 300 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, sendo 100,4 milhões da Fiocruz/AstraZeneca, até julho de 2021, e mais 30 milhões por mês no segundo semestre; 42,5 milhões do consórcio Covax Facility; e 70 milhões da Pfizer, negociação que ainda está em trâmite.

Para ler a matéria completa no Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.