A Secretaria Municipal de Saúde do Rio confirmou nesta sexta (30) a morte de mais um paciente que estava internado no Hospital Federal de Bonsucesso, atingido por um incêndio na terça (27). Agora, já são cinco mortos entre os pacientes que precisaram ser transferidos para outras unidades.

(Foto: Reprodução)

 

A vítima, um homem de 70 anos, ainda não teve o nome divulgado. Segundo a secretaria, ele chegou ao Hospital Municipal Ronaldo Gazolla no mesmo dia do incêndio com teste positivo para Covid-19, estava entubado e em estado muito grave. Sofria de cardiopatia grave e insuficiência renal.
Até o momento, apenas dois dos cinco mortos foram identificados pelas autoridades. A radiologista Núbia Rodrigues, 42, e o garçom Marco Paulo Luz, 39, ambos também internados com Covid-19. As outras duas vítimas são mulheres, de 73 e 83 anos.

A prefeitura diz que 27 dos 44 pacientes transferidos para a rede municipal continuam internados. Quinze já tiveram alta e dois morreram. Até quarta (28), 191 pacientes do hospital de Bonsicesso tiveram que ser levados para outras unidades de saúde. A reportagem não consguiu ainda contato com o Ministério da Saúde neste sábado (31).

O incêndio, cujas causas ainda não foram identificadas, atingiu um dos prédios do complexo hospitalar federal onde estavam localizados o CTI (Centro de Terapia Intensiva), o setor de nefrologia e as enfermarias de emergência.

Segundo funcionários do hospital, o fogo começou no subsolo do prédio 1 por volta das 9h30 e se alastrou pelo almoxarifado, onde há estoque de fraldas. Reportagem do jornal Folha de S.Paulo mostrou em 2019 que um relatório do próprio governo federal indicava que o hospital não tinha um plano de combate a incêndio.

Nesta sexta, a Defesa Civil interditou o bloco afetado pelo incêndio por risco estrutural e de instalações. Na quinta, já havia interditado o Centro de Imagens do hospital que fica anexo ao bloco atingido e apontado como a origem do fogo.

“Notamos que existe risco no que diz respeito a instalações e na parte civil. Por isso fizemos uma nova interdição. A administração do hospital foi informada para que proceda a imediata recuperação e eliminação dos riscos”, disse, em nota, o coordenador técnico da Defesa Civil Municipal, Eduardo Pierre.

As demais áreas do hospital estão liberadas para uso. Nesta sexta, após protesto dos servidores, o Ministério da Saúde informou que deve reabrir quatro alas na semana que vem.

Em março, o Hospital Federal de Bonsucesso foi anunciado pelo Ministério da Saúde como unidade de referência no tratamento de pacientes da Covid-19. Mas, durante a pandemia, sofreu com insuficiência de funcionários, o que resultou num acúmulo de leitos ociosos, e com a falta de equipamentos de proteção.