O ministro das Comunicações, Fábio Faria, defendeu nesta terça-feira (22) a inclusão de chips de rádio nos celulares de todo o Brasil. A declaração aconteceu durante encontro com os presidentes das associações de radiodifusão em evento da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert).

Divulgação

“Já estamos trabalhando com a evolução da TV e nosso próximo foco é a inclusão do chip de rádio nos celulares. Nada mais justo do que darmos para o cidadão o acesso ao veículo, sem que ele tenha que gastar seu pacote de dados”, defendeu o ministro das comunicações.

Ele ainda observou que hoje apenas 79% da população brasileira tem acesso à internet. “Com a colocação dos chips nos celulares 43 milhões de pessoas terão acesso ao rádio com conteúdo local, isso é essencial, afinal sabemos que em muitas localidades do país não há outro canal de comunicação disponível além do rádio”, justificou.

Para que a aprovação ocorra com mais dinamismo, Fábio Faria pediu a união do setor. “Temos uma grande chance de conseguir a provação do chip de rádio nos celulares, mas precisamos da colaboração de vocês. Já conversei com o presidente Jair Bolsonaro e ele está convencido e autorizou, agora precisamos convencer outros ministros e secretários. Vocês precisam estar unidos e ter o mesmo discurso para que eu possa trabalhar com o presidente da república e ministros, mostrando os argumentos do setor e benefícios para a população”.

O presidente da Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp), Michel Micheleto, está presente da reunião e avaliou positivamente a fala do ministro. “Fico extremamente feliz em ver o ministro empenhado em aprovar o Projeto de Lei do deputado federal, Sandro Alex, que teve como origem o projeto encabeçado pela Aerp em 2016, chamado Radiophone. Esperamos que em breve possamos viver uma nova realidade, onde teremos o maior número de aparelhos de rádio da história na mão dos brasileiros, graças ao chip de rádio nos celulares”, afirmou.

Durante o encontro, o ministro das comunicações falou também sobre a desburocratização do Assentimento Prévio. “Até hoje nunca houve uma negativa do Conselho, o que só aumenta a burocracia, que entendo como desnecessária. Vou trabalhar com este tema, atendendo a demanda do setor, conversando com o Ministro General Heleno porque há relação com o GSI”, afirmou Fábio Faria.