O IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus), órgão ligado ao Ministério do Turismo, incluiu o Memorial da Televisão Brasileira no Cadastro Nacional de Museus (CNM), nos Sistemas Culturais (SNIIC/MinC) e no Registro dos Museus Ibero-Americanos do Programa Ibermuseus. Lançado em 27 de novembro, quando a ABERT completou 58 anos de fundação, o Memorial foi criado em homenagem aos 70 anos da TV aberta no Brasil.

(crédito: Abert/Divulgação)

 

Com a inclusão pelo IBRAM, a exposição virtual recebeu um selo do CNM, que autentica a importância do Memorial, e passa a ser considerada museu internacional e patrimônio imaterial da cultura brasileira. Importantes instituições museológicas, como, por exemplo, o MASP (Museu de Arte de São Paulo), o MAM (Museu de Arte Moderna), Museu da Língua Portuguesa, Museu do Amanhã e Memorial da América Latina também estão na lista.

“Recebemos a notícia com enorme alegria. O reconhecimento pelo IBRAM coroa de êxito a iniciativa, que tem como objetivo deixar para o público o legado que a TV brasileira oferece, diariamente, há sete décadas, de forma aberta e gratuita”, afirma o presidente da ABERT, Flávio Lara Resende.

Na plataforma Museusbr, é possível encontrar informações sobre os museus, coletadas pelo CNM, além de outras atividades desenvolvidas no âmbito do IBRAM.

Sobre o Memorial da Televisão Brasileira

O Memorial da Televisão Brasileira é uma grande exposição virtual, interativa, que reproduz as sete décadas da TV aberta no Brasil e que tem por objetivo a expansão do seu conteúdo, atualizando a mostra com as atrações apresentadas pela televisão ao longo dos próximos anos.

São mais de 1.000 itens, 700 fotos e 28 vídeos, distribuídos em sete salas, numa atmosfera que virtualmente impressiona os olhos de quem acessar o http://memoria.abert.org.br.

A exposição é de fácil acesso e navegação. Ao percorrer as salas, é possível estar ao lado de Assis Chateaubriand na inauguração da TV Tupi, visitar a Lua em 1969, ver a Taça Jules Rimet, ou ficar bem próximo do carro de Ayrton Senna, entrar num reality show ou em um cenário criado em computação gráfica. Ao final, uma sala apresenta a grande festa da TV.

A exposição virtual é mais uma iniciativa do TV ANO 70, projeto do Memória ABERT, que nasceu com o intuito de não deixar de celebrar uma data tão simbólica para o meio.

Outras ações, como a criação do site do Memória ABERT, campanhas em TV aberta e Internet, encontros online especiais do Papo ABERT, livro sobre a TV Tupi, podcasts e postagens nas redes sociais, complementam as celebrações.

A exposição tem a curadoria do pesquisador Elmo Francfort em conjunto com o Conselho Curatorial das TVs associadas, confecção artística da Caselúdico, empresa responsável por exposições com grande sucesso de público, e da After Hour Multimídia, que reuniu uma playlist resgatando registros importantes da memória televisiva nacional.

“O Memorial da Televisão Brasileira é uma homenagem da ABERT aos profissionais e colaboradores que fizeram e fazem da nossa TV uma referência mundial. Pensamos em algo que ficasse como legado das comemorações e que acompanhasse as tendências atuais, respeitando as regras de distanciamento social”, afirma o presidente da ABERT, Flávio Lara Resende.