Ao todo, sete pessoas morreram no ataque, incluindo o vigia que provocou o crime – Foto: Divulgação PM/MG

Uma das crianças que havia sido dada como morta no ataque a uma creche de Minas Gerais na quinta-feira (5) sobreviveu. Com isso, o número de crianças mortas foi revisado de 6 para cinco. As informações foram divulgadas pelo Corpo de Bombeiros mineiro nesta sexta-feira (6), informou o G1.

Segundo os bombeiros, houve um erro de avaliação médica e Cecília Davina Gonçalves Dias, de 4 anos, que estava com parada cardíaca, foi reanimada após manobras de reanimação cardiopulmonar.

O autor do ataque Damião Soares dos Santos, de 50 anos, e uma professora, de 43, também morreram. A educadora teve 90% do corpo queimado. Segundo a Polícia Militar, o vigia jogou álcool nas crianças e nele mesmo e, em seguida, colocou fogo.

Outras crianças e funcionários da creche ficaram feridos no ataque. Trinta e oito pessoas permanecem internadas em hospitais de Montes Claros, Janaúba e Belo Horizonte.

Duas funcionárias da creche, que estão em estado grave, foram transferidas de helicóptero de Janaúba para Belo Horizonte, na manhã desta sexta-feira (6).

Vítimas

Segundo o Instituto Médico-Legal da cidade, morreram no ataque:

Ana Clara Ferreira Silva, 4 anos
Luiz Davi Carlos Rodrigues, 4 anos
Juan Pablo Cruz dos Santos, 4 anos
Juan Miguel Soares Silva, 4 anos
Renan Nicolas Santos, 4 anos
Helley Abreu Batista, professora, 43 anos

 

O crime

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Janaúba, Damião chegou à creche com uma mochila rosa nas costas. Ao tocar a campainha, funcionários teriam achado estranho a presença do vigia fora do horário de trabalho, mas ele teria dito que iria entregar um atestado médico à direção da unidade.

Ainda segundo a assessoria, Damião levava na bolsa um líquido inflamável, possivelmente álcool ou gasolina, que usou para atear fogo no próprio corpo. Funcionários informaram ainda que ele abraçou crianças que também começaram a ter os corpos incendiados. A sala onde os alunos estavam tem grades na janela e teto de PVC, uma espécie de material plástico, também inflamável.

Crime premeditado

Os primeiros levantamentos da Polícia Civil para tentar desvendar o ataque contra a creche Gente Inocente, em Janaúba, na Região Norte de Minas Gerais, nesta quinta-feira, mostram que o crime foi premeditado. Galões de combustíveis foram encontrados na casa do vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos. Segundo a corporação, era portador de doenças mentais e obcecado por crianças. Ele também pode ter escolhido a data, pois o pai do funcionário morreu exatamente há três anos. Por isso, avisou aos familiares que ”daria um presenta a todos, se matando em breve”.