Invasão aconteceu em abril de 2018 – Reprodução Twitter

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve ser ouvido nesta terça-feira (26) pela Polícia Federal (PF) de Santos, no litoral de São Paulo, sobre a ocupação do Condomínio Solaris e do apartamento de cobertura triplex, em abril de 2018. O depoimento deverá ocorrer na Superintendência Regional de Polícia Federal no Paraná, em Curitiba, onde Lula permanece preso.

Integrantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) e da Frente Povo Sem Medo invadiram o apartamento tríplex no Guarujá, que levou à condenação e à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A ação durou quase quatro horas e terminou após a Polícia Militar dar um prazo para que os militantes deixassem o imóvel.

Na época da ocupação, a ItaBrasil Gestão Imobiliária, que é quem administra o Condomínio Solaris, informou que o grupo quebrou a trava do portão de entrada e seguiu diretamente para a cobertura 164A. “Nenhum outro caso de invasão a unidades ou vandalismo no condomínio foi registrado”, informou por meio de comunicado.

Os manifestantes permaneceram no triplex por cerca de quatro horas e saíram dele após negociação com policiais militares. A ação dos grupos aconteceu nove dias depois de Lula se entregar à PF para cumprir a condenação na Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A Polícia Federal assumiu as investigações justamente porque o apartamento é objeto de investigação pela Operação Lava Jato. Dois advogados dos manifestantes chegaram a se apresentar na delegacia da PF, mas não foram indiciados.