Depois de dois dias de julgamento, o 5º Tribunal do Júri da Capital condenou nesta sexta, 28, o ex-policial militar Rodney Dias dos Santos a 149 anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial fechado, como um dos responsáveis pela chacina praticada na quadra da torcida organizada Pavilhão Nove, do Corinthians, em abril de 2015.

(Foto: Divulgação)

 

Segundo a denúncia, o acusado era uma das três pessoas armadas que fazia parte do grupo que invadiu a sede da torcida e causou oito mortes.

De acordo com a acusação, Rodney invadiu a quadra ‘com a intenção de matar uma das vítimas, com quem tinha uma desavença pelo controle do tráfico de drogas na região’.

Segundo informações divulgadas pelo Tribunal de Justiça de São Paulo – Processo nº 0002320-42.2015.8.26.0052 -, ‘para garantir sua impunidade, (Rodney) matou todos que lá estavam presentes após participarem de um torneio de futebol e um churrasco de confraternização’.

Três pessoas conseguiram fugir.

Em sua sentença, a juíza Giovanna Christina Collares destacou o fato de que ‘a personalidade do réu demonstra o seu absoluto desvalor à vida humana, ante a frieza com que os crimes foram cometidos, pois as vítimas foram executadas com tiros na nuca’.

Cabe recurso da decisão.