A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou fevereiro em 0,43%, ante taxa de 0,32% em janeiro, informou nesta terça-feira, 12, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado ficou ligeiramente acima do teto do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam uma alta de 0,26% a 0,42%, com mediana de 0,38%.

A taxa acumulada pela inflação no ano foi de 0,75%. O IPCA em 12 meses acumulou 3,89%, também ligeiramente acima das previsões dos analistas, que iam de 3,71% a 3,88%, com mediana de 3,84%. Os técnicos do IBGE concedem entrevista coletiva ainda na manhã desta terça para comentar os resultados.

Transporte

As famílias pagaram menos por transportes em fevereiro. Os preços caíram 0,34%, após uma ligeira alta de 0,02% em janeiro, segundo os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O grupo ajudou a conter o IPCA do último mês em 0,06 ponto porcentual, grupo de maior impacto negativo sobre a inflação de fevereiro.

As passagens aéreas recuaram 16,65% em fevereiro, item de maior contribuição negativo no mês, o equivalente a -0,08 ponto porcentual.

O preço da gasolina caiu 1,26% em fevereiro. À exceção de Goiânia, onde o combustível subiu 3,21%, a gasolina ficou mais barata em todas as demais áreas pesquisadas, com quedas que variaram entre -4,26% na região metropolitana de Porto Alegre e -0,37% nas regiões metropolitanas de Recife e Salvador.

O etanol também ficou mais barato em fevereiro, com redução de 0,81%. Por outro lado, o óleo diesel subiu 0,36%, enquanto o gás veicular aumentou 7,75% sob influência do reajuste de 40,11% registrado em São Paulo no início de fevereiro.

A tarifa de ônibus urbano subiu 1,50%, um impacto de 0,04 ponto porcentual, por conta de reajustes em cinco das 16 regiões pesquisadas.

Já o ônibus intermunicipal avançou 0,27%. A tarifa de trem teve alta de 3,85%, em decorrência de reajustes no Rio de Janeiro e em São Paulo. O metrô ficou 2,53% mais caro, impactado pelo reajuste ocorrido em São Paulo.