(Foto: Reprodução)

O governo de São Paulo confirmou na noite desta quarta-feira que um dos atiradores da escola estadual Professor Raul Brasil , em Suzano (SP), matou o parceiro no massacre e, em seguida, se suicidou. A cena teria sido presenciada por policiais da Força Tática que chegaram no colégio ainda quando os dois rapazes cometiam os crimes. A polícia nega que tenha havido um duplo homicídio por parte dos policiais.

Segundo o governo, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, atirou em Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e se matou em seguida. Os corpos deles foram encontrados no corredor do centro de línguas que funciona dentro da escola.

A investigação aponta que Guilherme matou Luiz Henrique e depois se suicidou. Segundo a polícia, os dois tinham um pacto de que fariam o ataque e depois se matariam. Antes do crime, eles pesquisaram na internet informações sobre massacres em escolas dos Estados Unidos.

Para ler a matéria completa no Extra clique aqui.