A força-tarefa do Paraná no Rio Grande do Sul encontrou nesta segunda-feira (11) mais uma vítima das enchentes que devastaram parte do estado vizinho. O corpo foi encontrado na cidade de Colinas, com a ajuda dos cães do Grupo de Operações de Socorro Tático (GOST) que participam da Operação Vale do Taquari. Com isso, o número de mortes devido às consequências do ciclone extratropical chegou a 47.

Foto: AEN

O Governo do Paraná já enviou ao Rio Grande do Sul 63 bombeiros, 3 cães e um helicóptero para auxiliar nas missões de busca, salvamento e ajuda humanitária. Ao todo, 92 municípios gaúchos decretaram estado de calamidade pública em função dos graves danos à infraestrutura local causados pelos fortes ventos e pelas enchentes. Estão desabrigadas quase 5 mil pessoas e outras 20 mil seguem desalojadas. Os desaparecidos ainda são 46 – oito deles em Arroio do Meio, local que serve de base para o grupo de atuação dos bombeiros paranaenses.

Os trabalhos do Corpo de Bombeiros Militares do Paraná no Rio Grande do Sul seguem nesta terça-feira (12). Há preocupação com novas previsões de chuva no estado vizinho, que podem elevar mais uma vez o nível dos rios, ampliando os estragos. A atual fase da operação já é considerada complicada, uma vez que se concentra na busca por vítimas que estejam soterradas ou submersas.

Integrantes da Defesa Civil do Paraná também estão no estado vizinho. O objetivo é ajudar os municípios quanto à documentação necessária para validar o Estado de Calamidade Pública, necessária para acessar os recursos estaduais e federais.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Força-tarefa do Paraná ajudou a encontrar vítima do ciclone extratropical no RS

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.