Três homens, de 46, 48 e 50 anos, foram presos na tarde desta quarta-feira (26), sob a suspeita de agirem como falsos policiais civis para extorquir um comerciante, de 31 anos, de Itapecerica da Serra (Grande SP). O trio chegou a pegar R$ 5.000 da vítima semana passada, segundo ela contou à polícia.

(Foto: Divulgação)

 

Em depoimento, o comerciante afirmou que dois dos suspeitos foram à sua farmácia, no último dia 16, e se apresentaram como policiais civis. Um deles, inclusive, usava uma roupa semelhante à da instituição, enquanto outro, de preto, ostentava uma suposta arma de fogo e algemas.

Os falsos policiais, acrescentou a vítima, estavam com um papel em mãos afirmando que o documento os autorizava a entrar no comércio e fazer uma inspeção. Em nenhum momento, disse o farmacêutico, ele pôde ler o que tinha no suposto mandado de busca.

Os falsos policiais não encontraram nada de irregular no comércio, porém, ainda de acordo com a vítima, afirmaram ter ciência de que o comerciante guardava remédios irregularmente em casa –o que não foi comprovado pela polícia.

Por fim, a dupla afirmou que se o comerciante não pagasse R$ 10.000 ela iria prender a mãe da vítima. Por conta da pressão, o dono da farmácia aceitou pagar R$ 5.000, se comprometendo a quitar o restante depois.

Segundo a polícia, os suspeitos passaram, então, a cobrar a vítima por meio de mensagens de celular, ameaçando o comerciante de prisão. Por isso, ele procurou a Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Taboão da Serra (Grande SP), relatando o caso de extorsão.

Nesta quarta, policiais civis aguardaram a chegada dos suspeitos, que combinaram de se encontrar com a vítima no bairro Jardim Jacira, em Itapecerica da Serra. Quando os falsos policiais chegaram ao local, foram abordados e presos.

Com eles foram apreendidas duas pistolas de brinquedo, três celulares, um distintivo da Polícia Civil, além de objetos, com o brasão da instituição. O trio foi indiciado por extorsão.