O Facebook anuncia nesta terça-feira (28) um sistema digital de vale-presentes para pequenos negócios sem ecommerce estruturado durante a crise de coronavírus, como salões de beleza, padarias e restaurantes.

Comerciantes poderão configurar um cupom digital com lojas virtuais parceiras do Facebook que já têm sistemas de pagamento integrados. Será possível compartilhar o link desses cupons nos perfis do Facebook e do Instagram da marca.

 

“Ao comprar o cupom, você dá dinheiro agora a uma padaria, por exemplo, e ela receberá logo”, diz Maren Lau, vice-presidente do Facebook na América Latina. “O maior desafio é que os pequenos negócios precisam de fluxo de caixa neste momento.”

Não há limite de preço para o cupom. Assim que ele for criado, pessoas que estão em um raio de até 15 km do estabelecimento receberão uma notificação.

O usuário realizará a transação por um dos modos oferecidos pela loja virtual, como cartão de crédito ou boleto, e a forma de recebimento dependerá dos termos do ecommerce com que o vendedor optar fazer parceria. Os sites são Loja Integrada, Nuvemshop, Cora e UOL Meu Negócio.

O Facebook não abre o número de empresas no Brasil que utilizam suas ferramentas de venda, mas globalmente são mais de 140 milhões.

A empresa diz que não terá retorno financeiro direto com a iniciativa, mas a manutenção de pequenos negócios ativos em suas plataformas é uma das estratégias da companhia. As marcas geram engajamento, e as redes sociais são um canal de compra cada vez mais popular.

Durante a crise do novo coronavírus, a companhia doou US$ 100 milhões a 30 mil pequenos negócios em mais de 30 países.

DELIVERY

O Facebook também anuncia que vai facilitar a compra de comida online por meio de parceria com os aplicativos UberEats e Rappi.

Consumidores poderão clicar em um adesivo com o aviso “peça uma refeição” nos stories e serão direcionados à página da marca da empresa anunciante nesses aplicativos de delivery. Também haverá um botão no perfil do Instagram.

Não há iniciativas para pequenos negócios no WhatsApp, mas a empresa diz estudar possibilidades.

Em seu site, o Facebook afirma que não se responsabilizará por nenhum aspecto da compra, do atendimento ou do resgate dos vales-presente, “inclusive se um vale-presente não for recebido, emitido ou resgatado”.