O que era para ser um simples pedido de almoço por aplicativo se transformou numa grande dor de cabeça para a empreendedora Dayene Boaventura, 32 anos. Além de não receber o pedido, a mulher sofreu assédio por parte do entregador de comida na porta da própria casa. A agressão ocorreu no dia 1º de dezembro, em Samambaia.

(Foto: EBC)

 

Dayene conta ter feito o pedido de um lanche no aplicativo UberEats. Como a entrega atrasou, ela checou o aplicativo, que marcava a comida como entregue. Sem ter o alimento em mãos, ela ligou para o entregador pelo app no número disponível na plataforma. O homem não atendeu e, então, ela entrou em contato com a loja, que ficou de verificar o problema.

Para ler a matéria completa no Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.