Apenas um controlador de tráfego aéreo, um diplomata, um geofísico, um meteorologista e uma ministra do Poder Judiciário (na verdade, uma oficial de Justiça) se candidataram para disputar as eleições municipais deste ano.

(Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

Essas são as cinco profissões que menos tiveram candidatos – com exceção das que não tiveram nenhum concorrente, número que não é contabilizado – cadastradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Entre as profissões com menos candidatos, há ainda seis astrólogos, seis engraxates, sete comissários de bordo, oito guardadores de veículos e 10 trabalhadores de tratamento de fumo.

Para ler a matéria completa no portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.