MÔNICA BERGAMO
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Um grupo de deputadas estaduais integrantes da CPI da Violência Sexual Contra Estudantes de Ensino Superior da Assembleia Legislativa de SP (Alesp) foi alvo de ofensas sexuais nesta quinta (17) durante uma audiência virtual da comissão.

Foto: Agência Brasil

Enviadas por internautas por meio de um chat do YouTube, que transmitia a conversa, as mensagens diziam coisas como “parece virgem” e “como é o nome dessa gostosa?”, além de fazerem referência a masturbação.

O alerta de que a sessão sofria ataques partiu da deputada Professora Bebel (PT). “Nós não podemos deixar barato isso, [são] muitas coisas ruins escritas. É lamentável que as pessoas não entendam que estamos na democracia e que cada um se coloca como pensa”, afirmou.

A deputada Damaris Moura (PSDB), que presidia a audiência, propôs que as mensagens sejam coletadas e analisadas pelas assessorias jurídicas e pela procuradoria da Alesp a fim de que sejam tomadas providências. A iniciativa foi aprovada pelas deputadas presentes e deverá ser pautada na próxima sessão da CPI.

“Isso é um exemplo claro de violência política de gênero que as mulheres sofrem em todos os espaços”, afirmou a deputada Marina Helôu (Rede).

A deputada Valeria Bolsonaro (PSL) reforçou o pedido de que os ataques sejam investigados por órgãos competentes. “Não podemos passar por esse tipo de constrangimento dentro de um trabalho que está sendo feito para a nossa proteção”, disse.