As vendas de Natal tiveram crescimento nominal de 9,5% neste ano, segundo levantamento da Alshop (Associação dos Lojistas de Shopping) com 400 empresas que representam 30 mil pontos de venda. É o melhor resultado desde 2014. As categorias de roupas, brinquedos e cosméticos lideraram as compras durante o período natalino, de acordo com a associação. O resultado superou as expectativas da entidade, que projetava 6,5% de alta.

(Foto: Divulgação/SindiShopping)

No ano, o faturamento do setor do varejo em shopping registrou alta de 7,5%, com receita de R$ 168,2 bilhões. A pesquisa, feita pela associação e pelo Ibope, levou em conta dados dos 762 centros comerciais do país. A projeção de crescimento era de 5%.
O comércio eletrônico cresceu 15% em, 2019, com faturamento de R$ 61,2 bilhões no ano. As vendas natalinas no comércio eletrônico movimentaram R$ 11 bilhões neste ano.

“Esperamos ter de 26 de dezembro a 31 de dezembro um movimento bom também, é histórico. As pessoas que receberam presentes farão troca. Na parte de vestuário, muita roupa branca sai devido ao Réveillon”, disse Nabil Sahyoun, presidente da associação. Para ele, o pagamento do 13º salário, a liberação do PIS-Pasep e a queda na taxa de juros e do desemprego contribuíram para a alta do setor.

“O pagamento do 13º teve uma injeção de R$ 214,6 bilhões na economia, segundo o Dieese, a taxa de juros é a menor desde 1999 e a inflação está controlada. São fatores essenciais”, disse. Os empregos temporários no segmento somaram neste ano 103 mil postos de trabalho, 40% a mais que em 2018. Hoje, o setor emprega 1,3 milhão de vagas. “Historicamente, 20% deles se transformam em empregos permanentes, possivelmente para expansão de novas lojas ou substituição de mão de obra”, afirmou Sahyoun.

Segundo o levantamento encomendado pela Alshop ao Ibope, 12 centros comerciais foram inaugurados em 2019. Desses, nove estão em cidades do interior e cinco deles na região Sudeste. “A tendência é de interiorização, dado que as principais capitais estão saturadas. Hoje, 55% dos shoppings estão em cidades do interior”, afirmou Luís Augusto da Silva, diretor da Alshop. A expectativa da entidade é que, com a projeção de crescimento do PIB acima de 2%, entre 13 e 20 centros comerciais sejam abertos em 2020.

“Hoje, há 31 shoppings em construção ou previsão abertura nos próximos anos, dos quais 20 serão no interior. Com o crescimento da economia, a tendência é de aceleração dos investimentos”, disse Sahyoun.

“Sem dúvida tínhamos uma demanda reprimida, mas por outro lado, crescer 7,5% no ano é algo bom. Um dado fundamental para 2020 é que, a maioria dos empresários com os quais conversamos diz que vai investir na expansão de suas lojas”.

A entidade afirma que a aprovação da reforma tributária pode destravar investimentos e potencializar o crescimento do varejo.
“A reforma ideal teria redução de imposto, mas isso dificilmente vai acontecer. Para nós, empresários, a desburocratização e a união de vários impostos em um único já seria um fator muito importante”, afirmou Nabil Sahyoun.