Um vereador que é e candidato a prefeito em Mairinque (71 km de SP) foi vítima de um atentado a tiros, por volta das 0h30 desta sexta-feira (13), quando estava em casa, onde vive com os pais e o irmão. Ninguém se feriu.

Desde o início da semana, ocorreram ao menos outros dois atentados a tiros contra candidatos. Um deles foi contra a jornalista Solange Freitas (PSDB), candidata à Prefeitura de São Vicente (65 km de SP), na quarta-feira (11). Ela não se feriu.

O outro caso ocorreu com o candidato a vereador de Guarulhos (Grande São Paulo) Ricardo Moura (PL), ferido a tiros durante uma transmissão ao vivo pela internet, na segunda-feira (10). Ele foi submetido a uma cirurgia, tendo alta no dia seguinte.

 

Em vídeo, Rafael da Hípica (MDB) exibiu marcas de disparos em imóvel
Imagem: Reprodução

 

O vereador Rafael de Oliveira Dias, 30, conhecido como Rafael da Hípica (MDB), afirmou à reportagem, na manhã desta sexta, que estava verificava documentos de sua campanha em uma poltrona, na sala de casa.

Por volta das 0h30, ele se levantou e foi até o sofá, a poucos metros da poltrona, sentou-se e passou a conferir mensagens no celular. “Aí ouvi três estampidos. Me assustei quando percebi que eram tiros”, afirmou.

Após os tiros, Dias escutou o som de uma motocicleta acelerando. “Não consegui ver nada”, acrescentou.

Dos três disparos dados pelo criminoso, dois perfuraram os vidros da janela da sala, que fica a cerca de cinco metros de distância da rua.

Em decorrência do incidente, Dias cancelou sua agenda de campanha para esta sexta. Ele disse ainda que iria solicitar, por meio de seus advogados, uma medida protetiva.

Sobre o incidente, ele avaliou que os tiros foram dados “para o intimidar” por causa do primeiro turno das eleições municipais, neste domingo (15). “Quem se beneficia da ‘velha política’ não quer que eu chegue à prefeitura”, disse.

Pela manhã, o candidato foi à delegacia da cidade, onde registrou um boletim de ocorrência de disparo de arma de fogo.

Sobre o atentado ocorrido em Mairinque, a SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB), afirmou que a polícia realiza diligências para identificar quem atirou contra a casa do candidato.

Com relação à ocorrência envolvendo a candidata à Prefeitura de São Sebastião, a pasta afirmou que a Deic (Divisão Especial de Investigações e Capturas) trabalha para identificar e prender o autor dos disparos. “Mais informações não serão repassadas para não prejudicar o trabalho policial”, diz trecho de nota.

Já sobre o caso de Guarulhos, a SSP disse “não haver novidades” e que as investigações para identificar o atirador são realizadas pelo Setor de Homicídios e de Proteção à Pessoa.

Ao menos 15 candidatos nas eleições municipais deste ano foram assassinados no país desde o dia 17 de setembro, primeiro dia após o fim das convenções realizadas pelos partidos que oficializaram as candidaturas, até o início do mês de novembro.

Foram mortos 14 candidatos a vereador e um candidato a prefeito em cidades de 12 estados, o que significa uma média de assassinato ligado à eleição a cada três dias.