O Brasil registrou 256 mortes pela Covid-19 e 16.150 novos casos da doença nesta segunda-feira (16). Com isso, o país chegou a 166.067 óbitos e a 5.876.740 pessoas infectadas por coronavírus desde o início da pandemia.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha de S. Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Os números têm variado bastante nos últimos dias, isso porque as secretarias estaduais voltaram a atualizar dados que estavam em atraso devido a problemas nos sistemas do Ministério da Saúde, após indícios de a pasta ter sido alvo de um ataque hacker, que teria causado falhas no acompanhamento dos casos da Covid-19.

Além dos dados diários do consórcio, a Folha de S. Paulo também mostra a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

Foto: Adriano Ishibashi/FramePhoto/Folhapress

A média de mortes nos últimos sete dias é de 490, voltando a se aproximar da casa dos 500. A variação foi de +34% em comparação com a média de 14 dias atrás, indicando tendência de alta das mortes. A média, porém, também foi afetada pelo recente apagão de informações de alguns estados.

Foram 16 estados e o Distrito Federal que puxaram a alta na média móvel de mortes: Paraná, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre, Amapá, Roraima, Rondônia, Tocantins, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Alguns estados, no entanto, tem um número baixo de mortes, o que pode levar a grande variações percentuais.

Os dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira apontam 13.371 novos casos confirmados de Covid-19 nas últimas 24h, com 216 novas mortes. Com isso, o total registrado no balanço federal já chega a 5.876.464 casos e 166.014 mortes pela doença desde o início da epidemia.

A pasta também voltou a atualizar dados que estavam em atraso. Um deles é o número de mortes ainda em investigação, que soma 2.392.
Na sexta (13), o ministério confirmou ter indícios de ter sido alvo de um ataque aos seus sistemas, assim como ocorreu com o STJ (Superior Tribunal de Justiça).