O presidente Jair Bolsonaro reuniu embaixadores na casa de um de seus filhos, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para comemorar o acordo de paz firmado entre Israel e dois países árabes no mês passado com mediação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Foto: Reprodução

No dia 15 de setembro, Israel assinou na Casa Branca acordos de normalização das relações com os Emirados Árabes Unidos e o Bahrein. O entendimento entre os países é um dos trunfos de Trump, e foi firmado há poucas semanas das eleições em que buscará o segundo mandato.

No almoço deste domingo, Bolsonaro reuniu os embaixadores Todd Chapman (EUA), Yossi Shelley (Israel), Bader Al-Hulaiabi (Bahrein) e Saleh Alsuwaidi (Emirados Árabes Unidos). O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, também participa da confraternização.

Bolsonaro publicou em suas redes sociais uma foto do encontro, em que todos dão as mãos. Nenhum dos presentes na foto estava usando máscara de proteção, embora as autoridades sanitárias recomendem o uso do equipamento durante a pandemia de covid-19.

Os acordos assinados nos EUA no mês passado estabelecem formalmente as relações diplomáticas entre Israel e os dois países árabes, os primeiros acordos do tipo desde os tratados de paz com o Egito e a Jordânia, em 1979 e 1994, respectivamente. O movimento representa uma vitória para o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, também aliado de Bolsonaro.