O autor do vídeo sobre suposto desabastecimento na Ceasa em Contagem, Minas Gerais, prestou depoimento à Polícia Civil ontem e afirmou não ter ligações com partidos políticos. Ele disse que agiu sozinho na produção e divulgação das imagens.

(Foto: Reprodução)

 

A gravação em que ele diz que há desabastecimento por causa do isolamento social foi divulgada pelo autor no Facebook no dia 31 de março e republicado no Twitter do dia 1 de abril pelo presidente Jair Bolsonaro – que apagou a publicação e pediu desculpas após a administração da Ceasa negar desabastecimento.

O inquérito deverá ser encerrado até a próxima sexta-feira e o autor, que teve nome preservado, pode ser enquadrado por alarme falso, contravenção com pena prevista de quinze dias a seis meses de prisão.