Durante a crise sanitária provocada pelo Covid-19, a Polícia Federal detectou um aumento significativo de ameaças cibernéticas. Os criminosos utilizam campanhas falsas – compostas por meio de e-mails, links, mensagens por aplicativos, ligações telefônicas e outros canais – para obter dados bancários e informações pessoais para o cometimento de crimes cibernéticos.

Seguem orientações para prevenção:

Links: não clique em links enviados por e-mail, SMS ou aplicativos de mensagens em nome de instituições bancárias, não preencha dados de cartões de crédito em formulários e nem informe dados de cartões de crédito e senha em ligações telefônicas;  Procure as informações junto ao seu banco nos canais oficiais.

Boleto falsificado: Códigos de barras podem ser facilmente alterados. Fiquem atentos ao nome da empresa e valor do pagamento. Qualquer dúvida, entre em contato com o credor e emissor do boleto ou com a sua instituição bancária.

Empréstimos: Se aproveitando do momento de dificuldades financeiras, golpistas oferecem facilidades em refinanciamento de dívidas e empréstimos consignados. Desconfie das ofertas de dinheiro fácil!

 

 

Golpes usando o Whatsapp: solicitações de empréstimos e transferências oriundas de contatos no Whatsapp podem ser golpes! Ligue para o seu contato e confirme a solicitação!

Voucher auxílio emergencial: diversas mensagens disparadas por meio de aplicativos como Whatsapp, SMS, e-mails e até telefonemas têm solicitado informações para cadastro dos beneficiários do auxílio emergencial aprovado pelo Governo Federal. Não informe os seus dados nesse tipo de mensagem.

Campanhas de doação: Em momentos de crise é muito comum surgirem campanhas de doação de todos os tipos. Certifique-se de que as pessoas/instituições por trás da campanha existem e são realmente sérias. Procurem informações nos canais oficiais das empresas.

Atenção

Para garantir o acesso às informações precisas e atualizadas sobre as ações federais em torno da crise sanitária provocada pelo COVID-19, a Polícia Federal recomenda que você procure os canais oficiais nos sites ou mídias sociais do Portal Governo do Brasil, Ministério da Justiça,  Ministério da Saúde, Ministério da Economia, Ministério da Cidadania e das instituições bancárias.