SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), afirmou nesta quarta-feira (13) que a medida que libera a volta de público aos estádios na cidade será revogada. O Maracanã será o palco da final da Libertadores em 30 de janeiro.

A norma foi publicada ainda nesta quarta, mais cedo, em uma resolução conjunta das secretarias de Saúde do estado e do município sobre as novas regras contra a Covid-19.

Maracanã vazio em jogo do Flamengo. (Foto: Divulgação)

“A decisão de liberar os estádios com uma ocupação máxima de 1/10 está correta tecnicamente de acordo com nossa secretaria de saúde. No entanto, obviamente trata-se de medida quase impossível de ser fiscalizada. A medida será revogada”, escreveu Paes no Twitter.

Segundo a medida publicada na edição desta quarta do Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro, a quantidade de pessoas nos estádios será definida pela classificação de risco para Covid-19 da região do estádio.

Se a região do estádio estiver em risco moderado, a limitação será de 20% da capacidade das arquibancadas, respeitando distanciamento mínimo de dois metros entre as pessoas. Se o risco estiver alto, o estádio poderá preencher 10% da capacidade, também com dois metros de distância entre os torcedores. Se a região estiver com risco muito alto, não haverá presença de público.

Ainda nos riscos moderado e alto, a medida permite o consumo de bebidas alcoólicas quando os torcedores estiverem sentados nos seus lugares.