A Presidência do STF (Supremo Tribunal Federal) informou nesta quinta-feira (17) que o cerimonial está em contato com todos os convidados da posse do ministro Luiz Fux no comando da Corte.

Foto: Divulgação STF

Em nota, o tribunal informou que as autoridades e demais presentes à solenidade têm sido alertados sobre a importância de buscar o serviço médico. E chamou a atenção dos convidados para eventual exposição ao coronavírus em outros eventos fora do STF.

A nota do Presidência do tribunal é uma reação à repercussão do caso. O presidente está preocupado em atenuar a imagem negativa criada em torno da cerimônia presencial.

“A Presidência do STF vem prestar solidariedade e votos de ampla recuperação aos que eventualmente contraíram a Covid-19”, diz o comunicado.

Após a posse de Fux, que contraiu a doença, receberam diagnóstico de Covid-19 o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), os ministros Luís Felipe Salomão e Antonio Saldanha Palheiro, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), e a presidente do TST (Tribunal Superior Eleitoral), Maria Cristina Peduzzi.

O STF afirmou que todas as medidas de segurança, protocolos e procedimentos recomendados pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde foram adotados rigorosamente para a realização da solenidade de posse.

Lembrou, entre outras medidas, que somente 50 de um total de 250 assentos do plenário da Corte foram ocupados, que todos os presentes foram submetidos à medição de temperatura corporal e que houve obrigatoriedade do uso de máscaras.

Os dois ministros do STJ que contraíram o coronavírus apareceram em uma foto do evento publicada pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) sem máscara facial, ao lado da presidente da entidade, juíza Renata Gil, sem proteção também.

O STF informou que a Secretaria de Serviços Integrados de Saúde do tribunal está atenta e à disposição dos servidores para orientá-los sobre eventual realização de testes e procedimentos a serem adotados em casos positivos,
Desde o início da pandemia, diz ainda o comunicado, o tribunal tem demonstrado senso de responsabilidade, seja ao dar prioridades aos julgamentos de casos que envolvam a Covid-19, seja ao implementar trabalho remoto para servidores e colaboradores.

“De qualquer forma, ainda que esteja segura quanto às medidas de precaução adotadas dentro de suas instalações, a Corte Suprema brasileira estuda novos procedimentos para tornar ainda mais segura a presença de servidores e visitantes do STF”, afirmou.