O Distrito Federal foi condenado a fornecer atendimento domiciliar multidisciplinar e a pagar indenização de R$ 20 mil à família de uma estudante que sofreu agressão física de professora em escola pública distrital. A decisão unânime é da 3ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), mas cabe recurso da sentença.

JACQUELINE LISBOA/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES.

 

De acordo com os autos, a agressão aconteceu em outubro de 2011, no Centro Especial 1 de Taguatinga. Uma docente teria tentado calçar os sapatos na aluna, que tem Síndrome de Down, quando ela voltava da atividade de educação física. Com dificuldade, a educadora teria empurrado a cadeira onde a menina estava, que bateu na mesa e machucou o braço da aluna.

A docente teria ainda puxado o cabelo da estudante para trás e a ofendido verbalmente. Diante dos gritos e nervosismo, a profissional teria gritado com a aluna e ameaçado chamar a irmã dela. A mãe da menina afirma que todas agressões foram registradas em ata pela diretoria do colégio. Além disso, outra professora, que estava presente no momento dos fatos, prestou depoimento confirmando o que teria acontecido.

Para ler a matéria completa no Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.