(Foto: Arquivo Pessoal)

Todas as tardes, o músico Lúcio Yanel, de 72 anos, entoa serenatas para a esposa. Entre uma canção e outra, o artista busca tranquilizar o olhar perdido e acalentar o choro de Sueli de Fátima Teixeira, que atualmente enfrenta a fase mais grave da doença de Alzheimer.

O violonista, que é uma das principais referências da música gaúcha, encontrou nas apresentações uma forma de se aproximar da mulher, que, segundo o artista, tem vivido em um mundo distante.

Casado há 25 anos com Sueli, ele conta que tem enfrentado períodos difíceis. A esposa do artista não consegue mais andar, falar ou se alimentar sozinha. “Ela precisa de ajuda para tudo e passa o dia inteiro na cama”, conta à BBC News Brasil.

Na última quarta-feira (23), o artista, sempre discreto em relação à companheira, publicou a primeira foto dos dois juntos desde que a doença da mulher atingiu o nível mais grave.

“Para que me sinta ao seu lado, minhas serenatas diárias”

Ele postou uma foto na qual se apresentava com seu violão para a companheira. Junto com a imagem, fez um desabafo. “Já faz alguns anos que o maldito Alzheimer vai me roubando a minha amada companheira. E para que me sinta ao seu lado, minhas serenatas diárias. Tu és o meu melhor público”, escreveu.

Para ler a matéria completa na BBC Brasil clique aqui.