A assessoria do senador Chico Rodrigues afirmou nesta terça-feira, 20, que o afastamento do parlamentar “é irrevogável, irretratável e sem recebimento de salários no período”. Flagrado escondendo mais de R$ 30 mil na cueca, Rodrigues pediu hoje uma licença de 90 dias do cargo.
A decisão foi comunicada ao Senado. Com a medida, a expectativa no Senado é de que o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) não julgue a decisão individual do ministro Luís Roberto Barroso, que determinou afastamento de Rodrigues por 90 dias. O julgamento está previsto para esta quarta-feira, 21. O senador é suspeito de participar de um esquema de desvio de recursos destinados ao combate à covid-19.