Investigações da Polícia Civil apontam que o acusado de matar o ator Rafael Henrique Miguel e os pais do jovem, o comerciante Paulo Cupertino Matias, fez um RG original, com um nome falso, em Jataizinho, no norte do Paraná. O crime aconteceu em junho de 2019. As informações são do portal G1.

Foto: Divulgação

O homem está na lista dos criminosos mais procurados pela polícia de São Paulo e teria conseguido a nova identidade apresentando documentos falsos a um funcionário público da Prefeitura de Jataizinho. O servidor envolvido foi ouvido nesta segunda-feira (26), mas disse não conhecer o caso e que não lembra do dia em que o procurado requereu o novo RG.

Crime

O ator Rafael Miguel foi morto com um tiro na face, no dia 9 de junho de 2019, no bairro Pedreira, na zona sul de São Paulo. A mãe tentou o proteger, abraçando o filho caído no chão, e foi assassinada sobre o corpo dele. Em seguida, o pai do jovem também foi morto a tiros e o criminoso fugiu do local.

O fugitivo é pai da namorada do ator e acusado de ser o responsável pelo crime, que aconteceu no momento em que as três vítimas chegaram em frente à casa da família de Paulo Cupertino. O motivo do crime seria ciúmes da filha.Em depoimento, a menina disse que o pai proibiu o relacionamento, alegando que o ator não era “uma pessoa de bem”.

Rafael é conhecido do público por interpretar a personagem “Paçoca”, da novela “Chiquititas”, exibida pelo SBT. Além disso, o jovem também era conhecido como o garotinho que tentava convencer a mãe, em um comercial de TV, a comprar brócolis.