A grife italiana Versace e sua diretora artística, Donatella Versace, pediram desculpas no domingo, 11, depois que uma das camisetas da empresa foi amplamente criticada nas redes sociais na China por identificar os territórios controlados pelos chineses de Hong Kong e Macau como países.

A Versace, que foi comprada pela Capri Holdings, de Michael Kors, em setembro, disse em sua conta no Twitter que cometeu um erro, que desde 24 de julho parou de vendê-las e que havia destruído as camisetas.

Camiseta identifica os territórios controlados pelos chineses de Hong Kong e Macau como países.

A Versace é a empresa mais recente a se complicar em questões políticas envolvendo a China, que desde o ano passado tem aumentado seu acompanhamento de como as empresas estrangeiras descrevem Hong Kong e Macau, ex-colônias europeias que são agora parte da China, mas governadas com um alto grau de autonomia.

“A Versace reitera que amamos profundamente a China e respeitamos resolutamente o território e a soberania nacional da China”, disse a companhia em um comunicado.

A camiseta, cujas imagens foram amplamente divulgadas nas redes sociais chinesas, apresentava uma lista de pares de cidades e países, incluindo “Nova York-Estados Unidos” e “Pequim-China”. Mas trazia Hong Kong e Macau como “Hong Kong-Hong Kong” e “Macau-Macau”.